Projetos

Educando para Educar

Cidade Amiga da Criança
Fortaleza - Ceará
FINALISTA
Divulgação

Instituição de Ensino Superior:  Universidade de Fortaleza

Participantes

Representante:

Andrea Amaro Quesada

Professores:

Vicente Matias Cristino

Alunos:

Maria Rosalda Pinheiro Freitas
Leticia Felicio Castro
Yhale Ribeiro Montenegro
João Paolo Cavalcante Martins Oliveira

Descrição do Projeto

O cenário atual das escolas é marcado por falta de cursos de formação, adoecimento de professores e número significativo de afastamentos do trabalho para tratamento de saúde, sendo a depressão uma das principais causas. Não há quem cuide de quem educa. Por isso, este projeto tem como objetivo capacitar professores da educação infantil, criar ferramentas para o desenvolvimento do protagonismo, da inteligência emocional e da cognição, e o monitoramento dos dados gerados pela iniciativa usando machine learning para verificar a efetividade das atividades desenvolvidas. 

Seguem abaixo informações referentes a cada um dos critérios de avaliação. 

 

Critério 1: Capacidade de promover a interdisciplinaridade

Participarão da iniciativa profissionais e estudantes de diferentes áreas da saúde e educação: Psicologia, Educação Física, Nutrição e Engenharia da Computação, para a compreensão do desenvolvimento infantil em todos os seus aspectos. A aprendizagem é favorecida quando trabalha-se a parte psicomotora, emocional e nutricional da criança. E dentro de uma atuação multidisciplinar frente a desafios complexos é preciso também pensar em alternativas alimentares e autossustentáveis para as escolas públicas, além de atividades cognitivas em que o aluno seja protagonista. Todas essas atividades precisam ser monitoradas, no caso, pela Engenharia da Computação. Os alunos de todas as áreas atuarão de forma ativa no projeto. Os conteúdos da Psicologia abordados sobre aprendizagem, avaliação psicológica, diagnóstico, psicopatologias, estresse, inteligência emocional, cognição e desenvolvimento infantil fundamentam: a articulação com as instituições de ensino infantil, a preparação e aplicação dos testes pré e pós-intervenção, a inserção dos dados coletados, a capacitação dos professores, o suporte dado aos professores e análise/revisão dos indicadores (plano de ação). Na engenharia da computação será colocado na prática o conteúdo de Redes Neurais da disciplina Sistemas Inteligentes. Além disso, as disciplinas da Educação Física, como Desenvolvimento humano, Jogo e Lazer, Metodologia e Avaliação Escolar, serão fundamentais na condução das atividades.

 

Critério 2: Comprometimento com a perenidade da iniciativa 

A temática da primeira infância é obrigatória nos cursos de Psicologia (Psicologia da Infância), Nutrição, Medicina e Educação Física. No Direito, há uma disciplina optativa. A ideia é dar continuidade ao Educando para Educar por meio de um projeto de extensão, o que será facilitado pelo atual incentivo da UNIFOR em ações de responsabilidade social. 

 

Critério 3: Potencial de impacto da solução apresentada 

Os beneficiários do projeto são profissionais que trabalham em creches e escolas públicas envolvidos na educação de crianças de baixa renda que se encontram na Primeira Infância. Através da plataforma digital, os profissionais serão capacitados e terão um espaço virtual para o fornecimento dos dados comparativos das crianças (antes e depois do projeto), pautados nos achados neurocientíficos. Espera-se formar, inicialmente, 100 professores no primeiro semestre de 2021 e, posteriormente, ampliar esse número. 

Embasamento teórico: estudos da Neurociência sobre a importância de se reduzir o estresse na aprendizagem (Lupien, 2009; Kandel, 2014) e de se propiciar vivências, trabalhar as emoções (McCoy, 2019; Herculano, 2012; Goleman, 2015; Doidge, 2011); na ideia de ZDP e de suporte social de Vygotski e na visão integrada da criança (Wallon). O conceito chave na construção do núcleo de aprendizado de máquina é o LSTM – Long short-term memory, um tipo de Rede Neural Recorrente usada em muitos campos, como reconhecimento de fala e escrita.

Objetivo: trabalhar a inteligência emocional dos professores para que eles possam contribuir para o desenvolvimento de seus alunos. Espera-se formar professores com habilidades socioemocionais que possam contribuir para o desenvolvimento de seus alunos, contribuindo assim para a formação das crianças, e consequentemente, diminuir a susceptibilidade ao desenvolvimento de psicopatologias. Espera-se que a escola desenvolva soluções criativas para suas dificuldades.

Indicadores: durante os seis meses iniciais do projeto, espera-se uma melhoria na cognição das crianças, de suas habilidades socioemocionais e de sua alimentação. Para a obtenção desses indicadores será escolhida randomicamente uma amostra de 30 crianças com idade entre 2,5 anos a 6 anos e 11 meses, as quais realizarão o teste não-verbal de Inteligência Snijders-Oomen (SON-R) pré- e pós-intervenção. Os problemas emocionais, relação com os pares, déficit de atenção, problemas de conduta, comportamentos pró-sociais e estresse serão avaliados por meio do questionário de Dificuldades e Capacidades (do inglês, Strengths and Difficulties Questionnaire, SDQ) e de dinâmicas aplicadas em grupos. Serão, ainda, avaliados a nutrição das crianças, a taxa de adesão ao curso, o nível de estresse e ansiedade dos professores (Escala de Estresse Percebido e Hamilton) e rendimento e evasão escolar.

Instrumentos: formações, entrevistas, monitoramento das metodologias ativas realizadas pelos professores e de sua eficácia por meio da plataforma de machine learning.

 

Critério 4: Efeito multiplicador 

Os registros das ações, os resultados e as lições aprendidas serão lançados na plataforma pelos membros da equipe e, posteriormente, pelos professores multiplicadores. Essas informações serão compartilhadas internamente por meio da plataforma com aprendizado de máquina. Serão publicados artigos científicos em periódicos nacionais e internacionais. Os resultados também serão divulgados nos veículos de comunicação da Universidade e, possivelmente, nos da OAB e nos das Secretarias da Educação.

Beberibe, Pacajus, Apuiarés e Ocara serão os próximos municípios do Ceará a serem beneficiados com o projeto e, posteriormente, a longo prazo, visam estender para as outras regiões e para as escolas privadas. Os multiplicadores formarão novos multiplicadores com o suporte e consultoria de nossa equipe interdisciplinar. Todos os dados serão armazenados na plataforma, originando novas ideias e mantendo o ensino sempre atualizado de acordo com os novos achados científicos e experiências de professores.

 

Critério 5: Inovação 

O projeto inova ao avaliar e estimular o desenvolvimento da inteligência emocional de quem educa, mapeamento das lacunas no processo de aprendizagem e utilização de machine learning para auxílio nas tomadas de decisão.

Contatos:

Andrea Amaro Quesada: andrea.quesada@gmail.com

Outros Projetos

VENCEDOR
Cidade Amiga da Criança
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro
No Brasil há uma enorme desigualdade no acesso à saúde e à educação. Na comunidade da... Leia mais

Remodal