Projetos

Formação de vínculo na adversidade, com a participação do Pai: para uma infância melhor

Parentalidade
Recife - Ceará

Formação de vínculo na adversidade, com a participação do Pai: para uma infância melhor

FINALISTA

Instituição de Ensino Superior:  Universidade Federal do Ceará

Participantes

Representante:

Marcia Maria Tavares Machado

Alunos:

Renata Celly Rodrigues Silva
Brenna de Oliveira Gadelha
Rosália de Azevedo Kjaer
Guilherme Irfii

Descrição do Projeto

Fortaleza, com 2.686.698 de habitantes, é a quinta cidade mais populosa do Brasil, sendo que 37% dessas pessoas estão em condições de alta vulnerabilidade social e econômica. A iniciativa visa atuar com essas famílias compostas por pelo menos um pai, com idade igual ou inferior a 25 anos, e que estes sejam os responsáveis por cuidar de crianças menores de três anos de idade. Terá como escopo um processo que deverá acontecer em dois ciclos com as seguintes etapas: 1) Pesquisa Formativa; Intervenção dialógica com vídeo-feedback positivo e envio de mensagens para o pai; 2) Avaliação de impacto e retorno econômico da intervenção.

Seguem abaixo informações referentes a cada um dos critérios de avaliação. 

 

Critério 1: Capacidade de promover a interdisciplinaridade

Já faz 35 anos que no Instituto da Primeira Infância (IPREDE) existem a parceria e  a troca de experiência de trabalho multidisciplinar com diversos professores e alunos da Universidade Federal do Ceará testando, por exemplo, diversos modelos de intervenção junto às 1200 crianças/famílias acompanhadas atualmente na Instituição e que apresentam um perfil de extrema vulnerabilidade social. Os professores seguem um modelo definido pela Instituição, com programação anual, priorizando as estratégias baseadas em evidências científicas, modelagem de intervenções ativas que vêm sendo aplicadas em centros de excelência em estudos da neurociência, inclusive de outros países (Universidades dos EUA, Canadá, China) adaptadas às suas características culturais. A intervenção é realizada com 6 encontros presenciais mediados por um profissional ou estudante de graduação treinado, e também tem como diferencial a participação da figura paterna que recebe o envio de mensagens de texto, áudio, vídeo por WhatsApp, da equipe da Saúde Coletiva e Saúde Materno-Infantil dos estudantes dos cursos de Psicologia e Enfermagem. A parte da avaliação de impacto e de retorno econômico é realizada pela equipe do curso de Economia.

 

Critério 2: Comprometimento com a perenidade da iniciativa 

O Instituto do IPREDE é um dos mais antigos Programa de Extensão cadastrado na UFC, sendo referência para todo o Estado do Ceará e atendendo a uma população com alta vulnerabilidade social e econômica. Os projetos de formação de vínculos na primeira infância no IPREDE têm abordado, em sua maioria, estratégias de intervenção com as mulheres. No entanto, após testados modelos de formação de vínculo, utilizando os agentes comunitários de saúde como mediadores (em visitas domiciliares, no Programa Cresça com Seu Filho, tendo como principal eixo teórico os princípios MISC/ICDP), foi considerado ter chegado o momento de testar novos modelos com a participação masculina (pai). A partir do referencial da Teoria da Mudança, será feito o teste de viabilidade com até 12 pais, que possuem crianças de 6 meses a 3 anos acompanhadas no IPREDE para que em outro momento seja possível expandir para outros públicos.

 

Critério 3: Potencial de impacto da solução apresentada 

Os beneficiários são aproximadamente 1000 crianças em situação de vulnerabilidade social atendidas pelo Instituto da Primeira Infância (IPREDE), sendo que 85% das famílias são compostas por beneficiários do Programa Bolsa Família e 47% dos pais não possuem o ensino fundamental completo. Os pais devem conviver no mesmo domicílio, ter idade inferior a 25 anos e ter crianças com idade de 6 a 36 meses. 

Embasamento teórico: a estratégia escolhida tomará o referencial utilizado na instituição sede e baseia-se no Programa Internacional de Desenvolvimento Infantil-ICDP (International Child Development Programmes), idealizado por Hundeide e Klein (1992), organizado em um conjunto de práticas a partir do MISC (More Intelligent and Sensitive Child) – traduzido como Programa Mediacional para um Cuidador Sensível. 

Objetivo: apesar de observado uma maior participação de alguns pais nos últimos anos da instituição, a atuação com esse público ainda é muito pequena. Para reverter esse quadro, espera-se uma melhora no comportamento relacional entre pais e filhos e, após o projeto testado, ter como resultado uma maior participação dos pais nos cuidados, assim como maior frequência destes nas consultas e atendimentos das crianças no IPREDE. 

Indicadores: para avaliação de desfechos e medidas de condição socioeconômicas: aplicação de questões sobre renda, idade, escolaridade, número de filhos, número de pessoas no domicílio, trabalho, programa de transferência de renda, estado marital;

Para avaliação de Parentalidade: medida de mudanças antes e depois de 2 meses do término da intervenção do Instrumento PAFAS. Desenvolvimento Infantil: aplicação individual do Instrumento ASQ3 ou PIPAS, antes e depois da intervenção.

Instrumentos: a médio prazo será realizado um seguimento dos pais e das crianças durante um período de 12 meses, aplicando instrumentos validados que possam medir o nível de progresso dos indicadores de desenvolvimento infantil. Utilização de grupos focais antes e após 2 meses da intervenção com número de sessões aplicadas por pai e número de mensagens lidas pelos pais, enviadas pelo WhatsApp, durante a intervenção.

 

Critério 4: Efeito multiplicador 

Espera-se replicar o projeto em unidades básicas de saúde, mais especificamente, nas Unidade de Saúde Amiga da Primeira Infância – UAPI, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (CE). Atualmente, existem 18 UAPIs em Fortelaza, sendo uma delas localizada na regional 6 (nas proximidades do IPREDE), o que pode facilitar o teste de escalabilidade da intervenção. A partir da grande interação do IPREDE com o poder público municipal, será possível a implantação desse modelo de intervenção em escala, posteriormente. 

 

Critério 5: Inovação 

O foco tradicional de atendimento no IPREDE é a díade Mãe e Criança, ou seja, não existiam essa ação direta com o Pai. A proposta tem como foco o pai e as crianças, através de ações individuais, utilizando vídeo-feedbacks com o pai, além de envio de mensagens (SMS), via WhatsApp, para reforço da relação positiva entre pai e criança.

 

Outras informações:

Site do IPREDE: http://www.iprede.org.br/

Contatos:

Marcia Maria Tavares Machado: marciamachadoufc@gmail.com

Outros Projetos

VENCEDOR
Cidade Amiga da Criança
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro
No Brasil há uma enorme desigualdade no acesso à saúde e à educação. Na comunidade da... Leia mais

Remodal